SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A venda de ingressos para os shows de Taylor Swift no Brasil gerou uma guerra entre fãs e cambistas. Após se confrontarem nos pontos de vendas presenciais, com a presença da Polícia Militar, agora os “Swifties”, como são chamados os fãs da cantora americana, estão organizando uma espécie de contragolpe.

Circula nas redes sociais em publicações virais, com milhares de curtidas e compartilhamentos, uma captura de tela de um chat em que um fã prega uma peça em um suposto cambista. Ele pergunta o preço do ingresso, mas pede que o cambista envie o número de seu CPF e o endereço de seu e-mail para ter certeza de que o ticket é verdadeiro.

Já em posse dos dados, o fã responde que, na verdade, já tem seu ingresso e que vai inscrever o cambista para ser mesário voluntário nas próximas eleições.

Ainda que para se voluntariar ao cargo nas eleições seja preciso fornecer o número do título de eleitor, e não o CPF, a publicação gerou uma enxurrada de memes nas redes sociais. Houve quem sugerisse ao fã, que não foi identificado, para expor o CPF do cambista na internet e até denunciá-lo registrando um boletim de ocorrência na Polícia Civil.

A prática do cambismo, isto é, da compra de um ingresso e de sua revenda por um preço maior do que o oficial, é ilegal. Há sites que estão vendendo os ingressos para os shows de Swift por até R$ 6.000, valor superior ao teto dos tickets oficiais, que é de R$ 1.050.

Taylor Swift se apresenta no Rio de Janeiro nos dias 18 e 19 de novembro. Depois, segue para São Paulo, onde os shows estão marcados para os dias 24, 25 e 26 do mesmo mês.

Leia Também: Procon-SP notifica empresa e cobra explicações sobre ingressos da Taylor Swift após confusão