Emissão de green cards e visas de diversidade é retomada após aprovação de Biden

O presidente Joe Biden revogou na última quarta-feira (24) a decisão de Donald Trump em abril do ano passado, a qual impedia a emissão de green cards para pessoas residentes de fora dos Estados Unidos que procuravam imigrar para o país legalmente.

Com esse veto do ex-presidente, aproximadamente 120 mil vistos de base familiar foram perdidos. Atualmente, são cinco os vistos de imigrantes: com base em emprego, com base em laços familiares, noivo (a) e cônjuge de cidadão americano, imigrantes de diversidade que é a loteria de visas e imigração para viúvos, investidores e exilados.

Biden está revisando e revertendo várias políticas de imigração de Trump. De acordo com o democrata, a decisão de Trump não favorece os interesses americanos, prejudicando indústrias americanas que utilizam talentos do mundo todo.

A ideia do ex-presidente com o veto era “proteger os empregos dos trabalhadores americanos” à medida que os efeitos do coronavírus à economia faziam com que milhões de pessoas ficassem desempregadas. Com isso, Trump decidiu proibir imigrantes de conseguirem green card e documentos que lhes concedessem direito de residência permanente no país.

A decisão de Trump foi controversa e, em outubro do ano passado, um juiz federal da Califórnia bloqueou a proibição sobre trabalhadores estrangeiros, alegando que isso afetava milhares de empresas nos Estados Unidos que foram contrárias à proclamação e entraram na justiça.

Com essa proibição, Trump fechou as portas do país às pessoas que já tinham visto de trabalho, com exceção de profissionais da saúde. Vencedores da Diversity Visa Lottery que foram escolhidos aleatoriamente para a aquisição do green card também foram incluídos no banimento.

O presidente Biden também afirmou que o veto impedia que familiares de cidadãos americanos e residentes permanentes legais se juntem às suas famílias no país. Em 2019, os Estados Unidos emitiram cerca de um milhão de green cards, sendo metade deles para familiares próximos de cidadãos americanos.

Fonte: Brazilian Press

Comentários Facebook