Em reestruturação, Avon cresce no Brasil, mas tem prejuízo no 1º trimestre

A crise da Avon abriu espaço ao mercado nacional. Em 2010, a norte-americana era a terceira empresa no mercado brasileiro de beleza e cuidados pessoais, com 8,8% de participação, atrás da Natura e Unilever, segundo a Euromonitor. Em 2015, caiu para a sétima posição, com fatia de 5,7%, superada por empresas como Boticário e L’Oreal. Já em 2016, a empresa voltou subir à sexta posição.

Fonte: G1