Como anda seu relacionamento com o dinheiro?

Você vive em função de ganhar dinheiro? Parece que ele sempre é insuficiente? Tem medo que ele falte?
Afinal a energia do dinheiro é positiva ou negativa?
A energia do dinheiro em nossas vidas está vinculada às intenções que colocamos nele ao recebê-lo ou gastá-lo. A maioria de nós, em um nível consciente, quer gostar de dinheiro, pois ele nos permite transformar alguns desejos de ter em realidade.
Mas,muitas vezes inconsciente pensamos:
A vida é uma luta diária…
É preciso sofrer muito para conquistar e construir.
Dinheiro está sempre faltando.
Tenho medo de ficar pobre.
Não posso gastar, se não vai me faltar.
Ter muito dinheiro não é bom.
Trabalhar e ganhar dinheiro não precisa significar esforço demasiado, e muito menos sofrimento.
Crenças como “a vida é uma luta” ou “é preciso sofrer para conseguir o que se quer” são algo em que podemos escolher acreditar ou não. Isso não significa que o dinheiro caia do céu em nossas mãos, mas também não é preciso se torturar em um trabalho que não tem nada a ver com você porque você precisa de dinheiro para sobreviver.
Muitas pessoas quando não estão felizes têm ainda mais vontade de comprar para se sentirem melhor. Se alguém trabalha em algo que não se sente bem, poderá ter surtos consumistas para compensar seu mal estar. Isso a torna ainda mais dependente de seu trabalho desagradável, pois ela tem de trabalhar cada vez mais para pagar aquilo que comprou para se sentir melhor, formando assim um círculo vicioso.
Por outro lado, existem aqueles que trabalham no que gostam, às vezes ganhando menos do que poderiam fazendo outro trabalho com o qual não se identificam. Porém, ao estarem mais satisfeitos, têm menos necessidades consumistas. Assim, mesmo com salário menor, sentem-se mais realizados e felizes. O dinheiro toma outra energia e ganha outra dinâmica.
É importante lembrar que o dinheiro nos possibilita o ter e o fazer, mas não o ser. Sem essa distinção, a riqueza material passa a representar um fim, não um meio de realizar algo para nos tornarmos a pessoa que queremos ser. Ganhar dinheiro por ganhar, sem uma motivação especial, pessoal e autêntica, apenas aumentará a sensação de que é insuficiente, porque essa escassez é interna e humana e não externa e material. Propósito! Tenha um propósito.
O valor que o dinheiro tem é aquele que você dá a ele.
E você, que valor tem dado ao seu?
Ao receber dinheiro sente gratidão ou se sente como um sofredor recebendo seu prêmio?
Ao gastar seu dinheiro sente que você está contribuindo para o fluxo de trocas na sociedade ou que está gastando e perdendo de alguma maneira?
Você economiza para comprar algo específico, para estar preparado para eventualidades ou apenas porque tem que juntar e não gastar para não sofrer o risco de faltar?
Você associa dinheiro à sobrevivência e à escassez ou ao prazer e à realização?
A obrigação de ter que ganhar ou à gratidão de ser um meio para concretizar suas realizações?
Ao se fazer esses questionamentos, reflita sobre sua relação com o dinheiro. Perceba quais sentimentos surgem e de que maneira eles podem estar lhe afetando de modo positivo ou negativo.
De forma que o relacionamento que você tem com dinheiro tem o poder de influenciar como você o ganha, poupa e gasta.
Fica ligado e faça esta análise honesta com você mesmo e o que o dinheiro representa em sua vida; o resultado pode abrir novas oportunidades de você prosperar…
Me mande um e-mail se você tiver qualquer dúvida!
Uma semana super produtiva a todos!

O post Como anda seu relacionamento com o dinheiro? apareceu primeiro em .

Fonte: Gazeta News

Comentários Facebook