Banco Mundial prevê retomada na América Latina puxada pelo Brasil

11/10/201716h05Depois de seis anos de desaceleração econômica e de uma retração de 1,3% em 2016, a América Latina e o Caribe crescerão 1,2% em 2017 e 2,3% em 2018, impulsionados por Brasil e Argentina, segundo dados apresentados nesta quarta-feira (11) pelo Banco Mundial.
“A recuperação será liderada por uma robusta retomada da Argentina, que deve crescer 2,8% em 2017 e 3% em 2018, e pelo Brasil, que deve retomar o crescimento também, com aumento de 0,7% do PIB em 2017 e 2,3% em 2018, após dois anos de contração”, diz o relatório do banco sobre a situação econômica da região.
Os dados usados são previsões de analistas de mercado, e diferem um pouco dos (Fundo Monetário Internacional), que prevê, por exemplo, crescimento de 1,5% para o Brasil em 2018.
Segundo o Banco Mundial, a expectativa é que os fatores externos que tipicamente têm sido associados ao crescimento da região, como o preços das commodities, permaneçam “estáveis”, o que aumentaria a necessidade, no curto prazo, de que a região conte com suas “próprias fontes de crescimento”. “Em particular, [são necessárias] reformas estruturais em pensões, mercados de trabalho e educação e aumentos no gasto de infraestrutura”, diz o relatório.

Fonte: Folha de S.Paulo