Conheça 10 dos lugares mais perigosos do mundo

00Quando pensamos em férias, normalmente visualizamos dias agradáveis em cidades fascinantes, praias paradisíacas ou outras paisagens naturais belíssimas. Tudo com conforto e segurança. Para nossa sorte, o mundo está cheio destes destinos… mas há outros tantos que devem ser evitados, pelo perigo que apresentam.

É sobre eles que falamos neste post: 10 dos lugares mais perigosos do mundo. Alguns não podem ser visitados, como é o caso de uma ilha que fica aqui no Brasil. Outros podem até receber turistas… mas é preciso ter mutiíssimo cuidado.

Preparado?

1. Camino a los Yungas, Bolívia: a pior estrada do mundo

Considerada “a pior estrada do mundo”, o Camino a los Yungas liga a região de Los Yungas a La Paz, capital da Bolívia. A Estrada da Morte, como também é conhecida, foi aberta em 1930 na lateral de imensas cordilheiras bolivianas, chegando a mais de 4 mil metros de altura. A via de mão única tem 65 quilômetros de extensão é extremamente estreita, variando entre 4 e 7 metros de largura. De dentro dos carros, o que se vê é: de um lado a montanha, do outro, o vazio do abismo.

Até 2007, a estrada era a única ligação entre La Paz e a região de Yungas – sendo responsável pela morte de cerca de 250 pessoas todos os anos, vítimas de acidentes de carro e ônibus. Até hoje, a via é desafiada por motoristas, motociclistas e ciclistas… mas bem, se você não é da turma dos mais corajosos, melhor passar essa aventura, né?

2. Ilha Ramree, Birmânia: lar de crocodilos

Na Birmânia, país do Sudeste Asiático, há uma lugar que foi o palco do maior ataque de crocodilos do mundo. Os pântanos da Ilha Ramree abrigam répteis gigantes, que podem atingir até 7 metros de comprimento e pesar uma tonelada! Durante a Segunda Guerra Mundial, cerca de mil soldados japoneses foram obrigados a atravessar esta região cheia de crocodilos de água salgada. Alguns não sobreviveram devido a doenças tropicais, outros morreram sufocados pela lama. A maioria, no entanto, foi devorada pelos animais.

3. Ilha da Queimada Grande, São Paulo

E o Brasil não fica de fora, não! A Ilha da Queimada Grande, no litoral de São Paulo, é um dos lugares mais perigosos e restritos do mundo. Ali vivem mais de 15 mil serpentes da espécie Bothrops insularis, mais conhecida como jararacas ilhoas, a única espécie do Brasil que vive em árvores. Elas são parentes das jararacas continentais, no entanto, possuem veneno de 12 a 20 vezes mais forte do que as priminhas. A picada pode matar uma pessoa em apenas seis horas.

Acredita-se que elas ficaram presas ali quando o aumento do nível do mar desconectou a ilha do continente. Os biólogos do Instituto Butantã são as únicas pessoas que desembarcam na Ilha Queimada Grande. Aliás, veja nosso post com 22 lugares proibidos, que provavelmente você nunca poderá visitar.

4. Jardim Venenoso de Alnwick, Inglaterra

O Jardim Alnwick é uma das atrações mais belas do norte da Inglaterra: são hectares de plantas coloridas, que convidam os visitantes a uma longa caminhada entre fileiras de rosas perfumadas, arbustos milimetricamente esculpidos e fontes de água.

Mas nem tudo são flores por ali… Dentro dos limites do Alnwick, cercado por grades e fechado por portões de ferro, está um jardim bem diferente. O Poison Garden tem plantas que, ao invés de curar, são capazes de matar. São cerca de 100 espécies venenosas, que não podem ser cheiradas, tocadas, muito menos provadas pelos visitantes.

As Ilhas Izu, no Japão, são famosas devido à sua natureza vulcânica e aos gases altamente venenosos. Após uma série de erupções do Monte Oyama e os decorrentes elevadíssimos níveis de dióxido de enxofre na ilha Miyake, a população teve de ser evacuada em 2000, podendo retornar às suas casas somente cinco anos mais tarde. Desde então, aqueles que vivem lá devem constantemente carregar máscaras de gás.

Apesar do perigo e do cenário um tanto assustador, turistas podem chegar a Miyakejima, que conta com belos pontos para mergulho. Mas todos devem se precaver – não à toa máscaras de gás estão disponíveis em muitas lojas turísticas da ilha.

Foto: Norio Nakayama

6. Caverna dos Cristais, México

A Caverna dos Cristais é uma cova situada na mina de Naica, no estado mexicano de Chihuahua. Com profundidade de 300 metros, a câmara subterrânea contém alguns dos maiores depósitos mundiais de prata, zinco e chumbo. O maior cristal encontrado por lá tem incríveis 11 metros de comprimento, 4 de diâmetro e pesa em torno de 55 toneladas.

O que tem de tão perigoso? A temperatura na Caverna dos Cristais chega aos 50°C e a umidade do ar é de 100%, nível que faz com que os fluídos se condensem nos pulmões, fazendo com que alguns exploradores desmaiem caso não estejam usando equipamentos apropriados. E bem… não é lá uma boa ideia desmaiar em uma caverna a 300 metros abaixo do nível do solo, né?

Foto:Alexander Van Driessche

8. Bolton Strid, Inglaterra: o riacho assassino

Um trecho do Rio Wharfe, na Inglaterra, é considerado um dos lugares mais perigosos do mundo. Acredita-se que o riacho conhecido como Bolton Strid tenha uma taxa de mortalidade de 100%: se cair ali, você não sairá vivo. Conforme os registros, a última morte no local foi em 2010, quando um garoto de 13 anos escorregou em uma rocha, caiu na água e se foi para sempre.

Com as margens estreitas no trecho, a pressão da água desgastou as pedras e formou um abismo de profundidade desconhecida no local. Além disso, as águas calmas na superfície escondem correntes fortes, capazes de arremessar contra as rochas com violência qualquer pessoas que cair no riacho.

E o pior é que não há qualquer indício de periculosidade na região, já que por ali o riacho tem apenas um metro de largura. O que pede aos visitantes que tenham cuidado são apenas placas, informando que o “Strid é perigoso e reivindicou vidas no passado”. Bem, eu é que não vou arriscar um mergulho ali para descobrir se realmente o Bolton Strid é tão letal assim…

9. Zona de Exclusão de Chernobyl

O próximo da lista, mas não menos perigoso, é Chernobyl, na Ucrânia. Após o acidente nuclear ocorrido há mais de três décadas, uma “zona de exclusão” de 30 km foi montada ao redor da Usina e da cidade de Pripyat. A região ainda hoje está contaminada por radiação e, para visitá-la, os turistas devem estar cobertos da cabeça aos pés, não podem comer ou beber ao ar livre e devem sempre seguir as trilhas oficiais. O Melhores Destinos esteve lá e contamos nesse post tudo sobre como é visitar Chernobyl hoje.

10. Porta do Inferno, Turcomenistão

Localizada no meio do deserto de Karakum, a cerca de 260 quilômetros da capital do Turcomenistão, a cratera de gás Darvaza é considerada um dos lugares mais perigosos do mundo por causa de suas chamas. A cratera tem 10 metros de diâmetros e cerca de 20 metros de altura e foi incendiada em 1971 para evitar que o gás metano se espalhasse pela região. E está queimando desde então. Embora seja considerado um dos lugares mais perigosos do mundo, a Porta do Inferno fascina os entusiastas de viagens de todo o mundo.

Foto: Tormod Sandtorv


Já visitou algum lugar naturalmente perigoso? Estaria disposto a conhecer algum destes que listamos acima? Participe nos comentários!

Fonte: Melhores Destinos

Comentários Facebook

Post Author: FN