Brasileiro sequestra filho nos EUA e é preso no México

Foto26 Mahalia Alexander Paggi e Julian Brasileiro sequestra filho nos EUA e é preso no México
Após pouco mais de 1 mês de angústia, Mahalia Alexander Paggi conseguiu ter o filho de volta, Julian, sequestrado pelo pai (Foto: GoFindMe.com)
Foto27 Filemom de Lima Brasileiro sequestra filho nos EUA e é preso no México
O brasileiro Filemom de Lima, de 37 anos, está detido na Cidade do México enquanto aguarda o andamento do caso nos EUA

Filemom de Lima sequestrou o próprio filho, Julian, em Massachusetts e tentava viajar ao Brasil através do México

As autoridades informaram que o brasileiro Filemon de Lima, de 37 anos, morador em Lawrence (MA) e procurado por ter sequestrado o filho de 1 ano e 2 meses, foi localizado e detido na Cidade do México, México. Uma fotografia divulgada pelo Departamento de Polícia de Lowell mostra a mãe, Mahalia Alexander Paggi, e filho, Julian, ladeados por uma amiga e 2 agentes locais no Logan International Airport, na região metropolitana de Boston (MA), na noite de domingo (17). As informações são do canal de TV local CBS Boston WBZ-4.

Filemom fugiu com o filho e ficou pouco mais de 1 mês foragido, detalharam os detetives, e planejava levar a criança para o Brasil. Caso tivesse entrado em território nacional, as autoridades americanas teriam dificuldade em repatria-lo, pois o Brasil não deporta seus cidadãos e Julian nasceu com dupla nacionalidade.

“Este é um trabalho excelente feito por todos que trouxeram essa criança de volta para casa”, disse a Superintendente Kelly Richardson, do Departamento de Polícia de Lowell. “Isso poderia ter tido um final completamente diferente”.

Lima está num centro de detenções no México, enquanto aguarda o andamento do caso, segundo um comunicado de imprensa divulgado pela polícia de Lowell. As autoridades locais e agentes do FBI trabalharam juntos para localizar a criança, que foi visto a última vez com o pai em 9 de janeiro. A criança estava em dia de visitação na casa do brasileiro em Lawrence, onde o sequestro ocorreu, detalhou Richardson. As autoridades mexicanas localizaram e capturaram pai na capital do país.

“Há um vídeo dele (Filemom) deixando a casa com uma mala e a criança nos braços”, acrescentou o Superintendente.

Os investigadores conseguiram localizar o foragido rastreando as transações feitas por ele no cartão de crédito, detalhou Richardson. O brasileiro passou por Ohio e Califórnia, antes de rumar para o México. De lá, Lima planejava viajar ao Brasil, entretanto, as autoridades mexicanas os localizaram e detiveram.

O detetive do Departamento de Polícia de Lowell, Carlos Mercado, e o Sargento Thomas Daly, que trabalhavam no caso de sequestro internacional, viajaram até a Cidade do México para recuperar a criança. Um passaporte dos EUA foi emitido para o menino de 1 ano e 2 meses de idade. Enquanto isso, ele ficou aos cuidados do Departamento de Relações Exteriores dos EUA.

Mahalia havia iniciado no website GoFundMe.com uma campanha beneficente logo depois do desaparecimento do filho. “Eu rezo a Deus por um retorno”, postou na página da campanha.

Richardson confirmou que o menino não se feriu durante o episódio e está em bom estado de saúde. “Ele parece estar feliz e saudável”, comentou. “Segundo Daly, ele está bem”.

No comunicado de imprensa de segunda-feira (18), Richardson demonstrou agradecimento a vários órgãos de segurança pública, incluindo a Patrulha da Fronteira (CBP), o Departamento de Segurança Nacional (DHS), assim como os agentes Mercado e Daly “pelos esforços diligentes na localização da criança”. Eles posaram ao lado da criança e da mãe sorridente no saguão do Aeroporto Internacional de Logan, na noite de segunda-feira (18).

“Nós o trouxemos de volta para casa”, concluiu Richardson. “Isso é um trabalho em equipe tremendo”.

“Eu nunca pensei que passaria por esse tipo de coisa, portanto, é difícil explicar como me sinto além de muito entusiasmada”, disse Mahalia; antes de ter o filho nos braços novamente. “Ele teve que olhar duas vezes, ‘essa é a minha mãe?’, mas veio direto para mim”, relatou ela.

Paggi disse ao canal WBZ-TV que o pai do filho dela tentava levar Julian ao Brasil até que ele completasse 18 anos. Ela acrescentou que Filemom a atormentou nas redes sociais enquanto dirigia com a criança rumo ao México. “Ele enviava-me imagens somente para me torturar, enviava-me vídeos, enviou a fotografia de outra mulher com o meu filho”, relatou.

Julian deu os primeiros passos com o pai e aprendeu mais palavras, mas Mahalia é grata de que ela tem o resto da vida com o filho para recuperar o tempo perdido.

Fonte: Brazilian Voice

Comentários Facebook