Brasileiro condenado por matar a filha é indiciado também por reentrada ilegal nos USA

O brasileiro Walter Gomes da Silva, 47 anos, que já cumpre pena de prisão perpétua por ter assassinado a tiros a filha Sabrina da Silva.

O brasileiro Walter Gomes da Silva, 47 anos, que já cumpre pena de prisão perpétua por ter assassinado a tiros a filha Sabrina da Silva, 19 anos, em Massachusetts, foi condenado também por reentrar ilegalmente nos Estados Unidos mais de uma vez.

A audiência aconteceu no dia 07, no Tribunal Distrital de Boston (Massachusetts), onde Silva foi indiciado por reentrar ilegalmente após ter sido deportado algumas vezes. De acordo com os documentos divulgados pela Procuradoria Distrital de Massachusetts, Silva foi encontrado pela primeira vez pela polícia em 1998, quando era um detento na Casa de Correções do condado de Bristol. Naquela época, Silva estava cumprindo uma sentença de dois anos por violência doméstica e agressão.

Após a conclusão da sentença, ele foi colocado em processo de remoção, e em 29 de novembro de 1999, foi deportado para o Brasil. Algum tempo depois, Silva entrou novamente de modo ilegal nos Estados Unidos. Em 2003, foi condenado em Middlesex Superior Tribunal por violência e agressão com uma arma perigosa e assalto para matar e foi condenado a 8-10 anos de prisão. Depois de completar sua sentença, Silva foi colocado em processo de remoção, e em 27 de março de 2012, ele foi deportado para o Brasil.

Novamente o brasileiro veio ilegalmente para os Estados Unidos e, em 2016, foi acusado no condado de Bristol de posse ilegal de uma arma de fogo e do assassinato de sua filha. Em 2018, DaSilva foi condenado por assassinato e sentenciado a 25 anos de prisão.

Para a condenação de reentrada ilegal, o estatuto de cobrança prevê uma pena não superior a 20 anos de prisão, até três anos de liberdade condicional e multa de US $ 250.000. As sentenças são impostas por um juiz do tribunal federal distrital com base nas Diretrizes de Condenação dos EUA e outros fatores legais. Com informações do portal WBSM.

Fonte: A Semana

Comentários Facebook

Marcações: