Brasileira presa por abandonar recém-nascido em lixeira afirma que bebê é do marido

Quando a brasileira Rafaelle Souza abandonou a filha recém-nascida em uma lata de lixo em um condomínio em West Boca Raton, muitos questionaram a razão pela qual ela teria feito isso. Uma das perguntas foi: “será que o filho não é do marido?”. Mas em audiência ocorrida nesta terça-feira (11) em Delray Beach, Rafaelle foi enfática em afirmar: “Em dez anos, nunca estive com outro homem”.

O marido, Carlos Jimenes Martins, estava presente ao tribunal e tenta reaver a guarda do filho de três anos, retirado dele quando a mãe foi presa. Ele também quer a guarda da bebê chamada por ele de Sara. Carlos vai fazer um exame de DNA para comprovar a paternidade do bebê.

De acordo com o Florida Department of Children and Families, todos os estudos e entrevistas foram feitos e não há razões para não devolver o filho mais velho ao pai. Já a menina permanece sob custódia do Estado até que tudo seja esclarecido.

“A cada dia que passa, esta criança perde a oportunidade de construir laços afetivos com o pai”, comentou Christian Romaguera, advogado de Carlos, que não quis comentar sobre a audiência.

Ele apenas abraçou emocionado amigos da igreja que o esperavam do lado de fora da Corte.

Durante toda a audiência, Rafaelle e Carlos estiveram perto um do outro, separados pela intérprete de português/inglês. Ela permanece presa no Palm Beach County Jail.

O filho de três anos do casal deverá ser entregue ao pai até o fim do dia de hoje.

Entenda o caso

Rafaelle, de 35 anos, admitiu ter colocado sua filha em um saco e jogado na lata de lixo, segundo o Palm Beach County Sheriff’s Office, no dia 8 de maio.

Funcionários do condomínio Boca Entrada ouviram o choro do bebê vindo do dumpster e ligaram para a polícia ao ver que se tratava de uma recém-nascida. A menina foi levada para o hospital e agora está sob os cuidados do Florida Department of Children and Families.

Um juiz negou fiança para Rafaelle, que foi acusada de tentativa de homicídio e abuso infantil. O magistrado Ted Borras ordenou que a brasileira permaneça presa e responda pelos crimes. (Com informações do Palm Beach Post)

Fonte: AcheiUSA

Comentários Facebook

Marcações: