‘Vamos investigar quem nos investigou’, afirma Carlos Marun

Carlos Marun (PMDB-MS) fala sobre as denúncias do procurador Rodrigo Janot contra o presidente Michel Temer Foto: Jorge William / Agência O Globo

BRASÍLIA — Chefe das tropas de choque do ex-presidente da Câmara cassado e preso Eduardo Cunha, e agora do presidente Michel Temer, o deputado de primeiro mandato Carlos Marun (PMDB-MS) provocou uma rebelião na CPI da JBS ao ser indicado relator. Ele diz que tem apanhado, mas que também sabe bater bem. Afirma que, no caso de Cunha, sua estratégia era segurá-lo no cargo para que não caísse antes de Dilma Rousseff. Sobre os senadores que deixaram a CPI em protesto contra sua indicação para a relatoria, Marun diz que isso é só desculpa e, na verdade, estão é com medo de investigar a JBS e os procuradores. E ironiza o procurador-geral da República, Rodrigo Janot: as flechas estão saindo pela culatra.
O senhor está recebendo muita flechada por defender o presidente Temer?
Não! As flechas estão saindo pela culatra. É o primeiro caso de flecha que sai pela culatra que conheço.
O senhor não tem medo de “apanhar”, ser criticado?
Medo de apanhar, eu tenho. Não gostaria de apanhar, mas apanho de algumas pessoas que têm uma posição contrária e, às vezes, extrapolam.

Fonte: Extra Online