O risco das contas na Suíça

Uma das revelações de Renato Duque ao juiz Sergio Moro nesta sexta-feira lembra o enredo de outros personagens de diferentes temporadas da Operação Lava Jato: é quando o ex-diretor da Petrobras relata preocupação dos ex-presidentes Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva com uma conta que ele mantinha no exterior para receber pagamentos ilegais de desvios na Petrobras.
Um dos casos mais marcantes da Lava Jato é aquele envolvendo uma anotação de Marcelo Odebrecht em seu celular que dizia apenas: “risco cta suiça chegar campanha dela”.
Quando Marcelo foi preso, em 2015, o celular foi apreendido. Mas sem tecla sap. Quando delatou, agora em 2017, o empresário, que está preso, traduziu a mensagem: disse ter alertado Dilma Rousseff em 2015 de que havia um risco de “contaminação” nas contas que haviam sido usadas pela Odebrecht para pagar João Santana no exterior.
A Odebrecht se valia, principalmente, de duas offshores para pagar o caixa dois a Santana pelos serviços prestados por ele a campanhas petistas, incluindo a de Dilma presidente.
Recentemente, o marqueteiro reforçou o coro sobre a preocupação em relação a outra conta na Suíça: a sua. Em delação premiada, ele disse que Dilma sabia do caixa dois da campanha em 2014 pois estava preocupada com a conta no exterior usada por ele e sua sócia e mulher, Monica Moura, para receber pagamentos.
Segundo Monica, Dilma estava atenta ao avanço da Lava Jato e quis saber se a conta dos marqueteiros na Suíça corria algum risco.
Nesta sexta-feira, Renato Duque, ex-diretor de serviços da Petrobras, indicado pelo PT, se juntou aos personagens que relataram preocupação de petistas com contas no exterior.
Duque incluiu no enredo o ex-presidente Lula, com quem teria conversado em um hangar em São Paulo, em 2014. O ex-diretor disse, no depoimento, que Lula perguntou se ele tinha recebido valores da empresa SBM em uma conta na Suíça, relatando que a ex-presidente Dilma tinha a informação de que um ex-diretor da Petrobras teria recebido dinheiro no exterior.
Duque negou e, segundo ele, Lula disse ainda que a ex-presidente estava preocupada com o assunto e que iria tranquilizá-la.
O avanço das investigações da Lava Jato, com confissões de diferentes delatores que ocuparam cargos dos mais importantes no país, mostra que as preocupações, se existiram, não eram à toa: é muita conta secreta na Suíça.

Fonte: G1