Justiça aceita ação do Estado do Amapá contra ex-governador por improbidade administrativa

“A ausência de chamamento público para a realização do convênio, por si só, demonstra uma tendência em obstruir a sua lisura, já que distancia dele a impressoalidade, o seu caráter equitativo e põe em dúvida a sua finalidade”, destacou a promotora de Justiça, Eliana Mena Cavalcante.

Fonte: G1