Final da Olimpíada de Matemática tem beneficiários do Bolsa Família

Considerada por muitos uma vilã, a disciplina de matemática é motivo de orgulho para Matheus Verdam, 13 anos. Beneficiário do Bolsa Família e estudante da rede pública do Rio de Janeiro. Ele está na final da 13ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), ao lado de outros alunos do programa.
O bom desempenho vem de outras edições. Na competição anterior, Matheus levou para casa a medalha de prata. Assim como ele, outros 692 beneficiários do Bolsa Família foram medalhistas nas categorias ouro, prata e bronze na olimpíada de 2016, número superior aos patamares de 2015 (613) e de 2014 (500).
Estudante do 9º ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal Estácio de Sá, Matheus diz que o segredo para alcançar uma boa colocação é dedicar-se ao máximo em sala de aula. “A olimpíada é sempre difícil, concorrida e exige dedicação. Neste ano, me sinto ainda mais motivado a estudar, o que fez que as minhas notas em matemática também melhorassem”, conta.
Mãe do medalhista, Andréia Verdam da Silva lembra que o filho sempre teve facilidade para resolver cálculos. “O Matheus é um bom aluno, nunca precisou de reforço nem de professor particular, então tudo se torna mais fácil. Eu estudei somente até as séries iniciais. Embora não consiga ajudá-lo nas tarefas, busco incentivá-lo sempre”, revela.
Há um ano no Bolsa Família, Andréia utiliza os R$ 124 que recebe do programa na compra de livros e material escolar para Matheus. O apoio da mãe e a dedicação do filho sinalizam ainda outros frutos. Matheus está concorrendo a uma bolsa integral para cursar o ensino médio em uma escola particular, custeada por um projeto de empresários que buscam jovens talentos. “Tudo que almejo tem a ver com o meu filho e com o futuro que vou oferecer a ele. O meu sonho é ver ele formado e com uma profissão. E sei que isso está muito próximo de se realizar”, acrescenta Andréia.
A etapa final da 13ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas acontece neste sábado (16). O resultado final será divulgado em novembro. A iniciativa busca despertar nos alunos o gosto pela matemática e pela ciência e motivá-los na escolha profissional a optar pelas carreiras científicas e tecnológicas.
A novidade desta edição é que os 900 medalhistas com maior pontuação serão convidados a disputar a fase única da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), da qual participam alunos de escolas particulares. A competição serve, por exemplo, para selecionar alunos que disputarão olimpíadas internacionais.
Fonte: MDS