Após 21 anos, brasileiro indocumentado poderá ser deportado dos EUA

Foto2 Gustavo Ana Paula Isaque e Nathan Costa Após 21 anos, brasileiro indocumentado poderá ser deportado dos EUA
Gustavo Costa em companhia da esposa, Ana Paula Rodrigues Costa, e os dois filhos, Isaque, de 12 anos, e Nathan, de 8 anos, ambos nascidos nos EUA

No início de janeiro, Gustavo Costa, de 39 anos, foi detido por dirigir acima da velocidade permitida na Flórida

A brasileira Ana Paula Rodrigues Costa, de 37 anos, moradora em Boca Raton (FL), aguarda com angústia a aproximação da sexta-feira (14), dia agendado para que o marido, Gustavo Costa, de 39 anos, seja deportado dos EUA. Ele imigrou em 1997, ela em 1999 e o casal possui dois filhos, Isaque, de 12 anos, e Nathan, de 8 anos, ambos nascidos nos EUA e nunca visitaram a terra dos pais. As informações são do jornal Brazilian Times.

Ana Paula e Gustavo são naturais da mesma cidade, se conheceram nos EUA e estão casados há aproximadamente 16 anos. O drama começou em janeiro desse ano, quando ele foi parado pela polícia por estar dirigindo acima da velocidade permitia numa rodovia no condado de Osceola (FL). Os agentes não conseguiram encontrar as informações dele no sistema e, pouco depois, Gustavo foi transferido para a custódia do Departamento de Imigração (ICE), no Centro Transacional do Condado de Broward, no mesmo estado.

“Nós estamos perdidos”, disse Ana Paula ao BT. “Nós sentimos um vazio enorme. A casa está vazia. Estamos arrasados”.

Ela e os 2 filhos relataram que estão vivendo em um mundo de cabeça para baixo desde aquele dia fatídico em janeiro.

“É dia que você deseja nunca acontecer”, disse ela. “Se não fosse por eles, seria fácil. Simplesmente partir junto, mas por eles (filhos) faríamos tudo de novo”, disse Ana Paula olhando para as crianças.

Durante mais de 2 décadas vivendo nos EUA, por que não foi tentada a legalização? A brasileira respondeu que ela e o marido tentaram, entretanto, mas o gasto financeiro seria demais; algo que agora ela admitiu que lamenta não ter feito ou pelo menos tentado.

“Deveríamos ter passado por qualquer meio de aplicar; até mesmo se não pudéssemos pagar”, disse ela, frisando que agora os dois filhos também estão pagando o preço.

Diferente de outros pré-adolescentes e adolescentes, ao invés de planejar o que eles vão fazer neste verão, Isaque e Nathan estão imaginando como será a vida na mudança para o Brasil, um país que nenhum dos dois jamais esteve.

“Distante de tudo o que eu tenho há 12 anos”, disse Isaque Costa emocionado. O irmão, Nathan Costa, ecoa o mesmo sentimento. “Não devemos nos mudar para o Brasil, mas (sim) devemos ficar aqui”, disse ele.

Entretanto, permanecer nos EUA, de acordo com Ana Paula, não seja uma opção, já que ela quer que toda a família esteja reunida novamente.

“Um dia, nós estaremos juntos novamente”, disse ela. “Isso vai acontecer, eu sei. Um dia, estaremos juntos novamente”.

A brasileira tem o auxílio de um advogado de imigração e citou a possibilidade da apresentação do pedido de uma nova audiência. Entretanto, ela acredita que toda a família acabará voltando ao Brasil em breve.

Fonte: Brazilian Voice

Comentários Facebook