Abertas inscrições para programa que reunirá crianças com pais imigrantes nos EUA

Desde terça-feira está aberto o processo de recebimento de novas inscrições do Programa para Menores da América Central, conhecido como CAM, que permite que pais que residem legalmente nos Estados Unidos se reúnam com seus filhos que estão em El Salvador, Honduras e Guatemala.

O governo Biden reabriu o programa em março, em uma tentativa de reunificar famílias e desencorajar menores de embarcar em uma viagem perigosa através da fronteira, disseram duas autoridades na segunda-feira.

“Estamos firmemente comprometidos em receber as pessoas nos Estados Unidos de maneira humana e respeitosa, e em unir as famílias”, disse um dos funcionários em uma entrevista coletiva por telefone.

“Estamos cumprindo nossa promessa de promover uma migração segura, ordenada e humana da América Central por meio da expansão das vias legais para buscar proteção humanitária nos Estados Unidos”. A iniciativa faz parte do programa para menores centro-americanos conhecido como CAM, por seu nome em inglês, encerrado no governo anterior do presidente Donald Trump.

Criado em 2014 pelo então presidente Barack Obama, o CAM permite que os pais e agora também os tutores legais, solicitem o status de refugiado para crianças que demonstram estarem em perigo na Guatemala, El Salvador e Honduras, onde a violência e a pobreza aumentam.

O governo Trump o fechou por meio de uma série de ordens executivas que restringiram a entrada de imigrantes. Biden reiniciou o programa em etapas, o que também incluiu uma expansão em junho dos requisitos para aqueles que podem se inscrever para se reunir com seus filhos por meio deste programa de admissão de refugiados.

Até o momento, ela havia processado mais de 1.000 casos que permaneceram inacabados antes de seu fechamento em 2018. Agora, além dos pais, podem se inscrever os responsáveis ​​legais das crianças que já moram nos Estados Unidos. Ao fazer o anúncio, as autoridades disseram que o objetivo do governo é enfrentar os desafios da migração irregular na América Central e preparar o caminho para a imigração legal.

A partir de terça-feira, os pais ou responsáveis ​​legais de menores poderão iniciar o processo de reunificação familiar, desde que estejam nos Estados Unidos e tenham algum tipo de status legal, incluindo aqueles que têm residência, estão em processo de asilo ou têm um status conhecido como TPS.

Também pode ser iniciado por aqueles com uma ordem que suspendeu provisoriamente suas deportações, disseram as autoridades sob condição de anonimato, seguindo a política da Casa Branca.

Menores não podem enviar inscrições na América Central, mas podem alertar seus pais para fazê-lo nos Estados Unidos.  O processo de inscrição deve passar por agências encarregadas de reassentar refugiados, disseram as autoridades. Acredita-se que dezenas de milhares de pessoas poderiam se candidatar, embora não se saiba exatamente quantas teriam filhos na América Central.

Fonte: Brazilian Press

Comentários Facebook