Vereadores de NYC votam projeto que permite que 800 mil não cidadãos votem nas eleições municipais

Os legisladores da cidade de New York (New York) estão preparados para permitir que mais de…

Os legisladores da cidade de New York (New York) estão preparados para permitir que mais de 800.000 nova-iorquinos que são portadores de Green Cards ou têm o direito legal de trabalhar nos Estados Unidos votem nas eleições municipais e nas iniciativas eleitorais locais.

O projeto de lei, conhecido como “Our City, Our Vote”, tornaria a cidade o maior município do país a permitir que não cidadãos votem nas eleições locais.

A legislação, que deve ser aprovada pela Câmara de Vereadores em 9 de dezembro com uma margem à prova de veto, surge em um momento em que os Estados Unidos lidam com uma série de novas leis para impor restrições aos eleitores, bem como os efeitos econômicos e demográficos de um declínio na imigração.

Os eleitores no Alabama, Colorado e Flórida aprovaram cédulas eleitorais no ano passado especificando que apenas cidadãos americanos poderiam votar. Os estados juntaram-se ao Arizona e Dakota do Norte ao especificar que os não cidadãos não podiam votar nas eleições estaduais e locais. “É importante para o Partido Democrata olhar para a cidade de New York e ver que quando os direitos de voto estão sendo atacados em outros lugares, nós estamos expandindo a participação dos eleitores”, disse Ydanis Rodriguez, vereadora que patrocinou o projeto e representa Washington Heights em Upper Manhattan.

A legislação, apresentada pela primeira vez há quase dois anos, é o resultado de mais de uma década de trabalho para obter o direito de voto local para alguns residentes permanentes legais. Também estende o direito a quem tem autorização de trabalho, como os chamados “Dreamers”, beneficiários de um programa conhecido como DACA que protege da deportação jovens imigrantes que chegaram ilegalmente aos EUA.

Há algum tempo, era comum que não cidadãos tivessem direito a voto nos Estados Unidos, mas as disposições foram revogadas por volta da virada do século 20, à medida que mais imigrantes chegavam e o sentimento popular mudava. Até a dissolução do conselho escolar, quase duas décadas atrás, a cidade de New York estava entre os lugares que permitiam que pessoas que não são cidadãos votassem nas eleições do conselho escolar, um direito que existe em San Francisco (Califórnio). Várias cidades em Maryland e Vermont também concedem aos não-cidadãos alguns direitos de voto municipais.

Dos cerca de 808.000 nova-iorquinos adultos que são residentes permanentes legais, ou portadores de green card, ou têm autorização de trabalho, em torno de 130.000 são da República Dominicana; os da China representam outras 117.500 pessoas, de acordo com o Gabinete de Assuntos de Imigrantes do Prefeito. Os elegíveis devem ser residentes da cidade de New York por pelo menos 30 dias e, de outra forma, elegíveis para votar de acordo com a lei estadual.


Apoiem os Pequenos negócios. Mantenha a economia girando!

ADVOGADA MICHELLE DA SILVA– Conhecimento, experiência e resultado. Imigração, divórcio, casos criminais.  Estamos localizados  em Boston (MA). Ligue: (781) 223-6100.

WRA REALTY– Flórida- As melhores oportunidades da Flórida. Deixe nossos especialistas encontrarem a oportunidade certa para você! Encontramos a melhor opção para você investir o seu dinheiro na Flórida e aumentar o seu rendimento. Invista em PROPRIEDADE! Fale com a corretora brasileira Fernanda Pizzamiglio. Tel: (508) 364-4606. Endereço: 7065 Westpoint Blvd. Suite 102- Orlando, FL 32835. Email: [email protected]. Site: www.wra-usa.com

Fonte: Brazilian Times

Comentários Facebook

Post Author: FN