Missionária brasileira coordena trabalho humanitário com crianças da República Dominicana

Empenho da missionária e coordenadora da “Global Children Foundation”, Lindonésia Coelho

 

No comando da “Global Children Assistance Foundation”, com ajuda às crianças carentes da República Dominicana, a missionária e coordenadora geral, Lindonésia Coelho, fala de desafios e pede ajuda para o envio de leite em pó e alimentos não perecíveis. Um trabalho de fé e dedicação

 

Da Redação

Lindonésia Coelho é missionária e Coordenadora geral da “Global Children Assistance Foundation”, que há seis anos realiza trabalho de ajuda às crianças carentes – e familiares –, da República Dominicana, em missão desafiadora, na cidade San Pedro de Macoris, no bairro Filipinas – reduto de extrema pobreza. Atividades assistenciais, no âmbito religioso, espiritual e social têm sido foco primordial, contando com a ajuda de voluntários em esforços para cumprir a meta de levar dignidade aos que tanto necessitam –distribuição de alimentos, roupas, calçados e remédios –, abrindo  oportunidade de trabalho para as mães com curso de corte e costura; também tirando garotos das ruas através de atividades esportivas, o basebol. Lembrando que na República Dominicana tem excelentes universidades e um padrão de vida privilegiado em alguns pontos da cidade, onde residem famílias tradicionais e empresários.

“As crianças, toda semana, recebem ensinamentos bíblico, como recebem material escolar e alimentos. Temos a escola de corte e costura para as mães e para os pais também, que vivem em estado de miséria, e é uma forma de ter uma profissão. A costura é muito útil, gera renda e abre portas de trabalho. A escola está em atividades há quatro anos, sob o comando da professora Julia Hernandez”, explica Lindonésia.

 

Alimentos para as crianças -Outra façanha da “Global Children” , relata a missionária, é o curso de inglês, ministrado pela missionária da Holanda, Mika, além de atividades esportivas – curso de Basebol –, para garotos de rua, que agora estão comprometidos com a modalidade. “Os garotos deixaram as ruas desde que passaram a frequentar as aulas de basebol, que têm sido um grande incentivo na vida de cada um deles. Eles recebem uniformes, alimentos, e a oportunidade de praticar atividades esportivas. São quinze garotos que vêm se empenhando e que em breve poderão participar de atividades da modalidade”.

 

Mães também recebem ajuda -Quanto às doações, e a forma de conduzir um trabalho de extrema importância, que vem beneficiando filhos e pais, apontando novos horizontes, levando alimentos e esperança a um bairro pobre da República Dominicana, disse Lindonésia que tem sido um desafio de todos os dias. “Trabalhamos com dificuldades, há seis anos, desde que a Fundação foi criada. Temos poucas parcerias, e fazemos o que podemos em uma luta árdua, desafiadora, mas gratificante porque proporcionamos dignidade a tantas crianças, e pais, que não tinham o que comer, e que agora têm educação e a chance de serem pessoas melhores”, relata à missionária.

“As pessoas que quiserem nos ajudar neste trabalho importante, voluntário, podem mandar caixas com alimentos para as crianças à República Dominicana. O envio de caixa custa apenas 50 dólares, e isso vai fazer uma grande diferença na vida destas famílias em condições subumanas. As pessoas interessadas podem mandar leite em pó, e alimentos não perecíveis. As pessoas do bairro Filipinas não têm geladeira em casa, a vida é de miséria absoluta, e o leite em pó para as crianças é garantido. O leite em pó no país é caríssimo e as crianças ficam sem o essencial, ficam muito fracas. Algumas destas crianças se alimentam nas escolas do governo, mas com a pandemia as escolas foram fechadas, elas não tem o que comer”, enfatiza Lindonésia.

“O único alimento das crianças pobres da República Dominicana é o pão branco, e pão branco, que é mais barato no país, não faz bem à saúde destas crianças. É uma população em necessidade, então procuramos amenizar de alguma forma com o nosso trabalho. Você pode nos ajudar enviando caixa de alimentos não perecíveis e de leite em pó para as crianças”, complementa a missionária.

 

Descoberta de causa humanitária

Brinquedos para as crianças na Campanha de Natal – Quando perguntada sobre a origem do Projeto Social na República Dominicana, lembra Lindonésia, natural da cidade mineira de Governador Valadares, que tudo surgiu quando foi à República Dominicana, acompanhando as duas filhas – Thalita e Deborah –, que foram estudar Odontologia. “A República Dominicana tem ótimas universidades e excelentes oportunidades para estudantes americanos. As minhas filhas são americanas, e foram para lá estudar Odontologia, e eu fui acompanha-las. Foi quando tomei conhecimento da pobreza extrema do bairro Filipinas, quando fui visitar, e decidi que precisava fazer algo para ajudar aquelas crianças em situação subumanas. Fiz uma campanha de Natal, arrecadei brinquedos e foi um sucesso. As portas se abriram, a partir daí surgindo depois à criação da Fundação”, fala com entusiasmo.

Mas o instinto de solidariedade, de amor ao próximo, conta Lindonésia, vem de criança, quando, aos 13 anos de idade, em Governador Valadares, levava meninos e meninas de um bairro pobre para a sua casa para comer e receber roupas. Aos 19 anos, já atuava na área social, trabalhando com crianças carentes. “Os meus pais sempre ajudaram pessoas carentes, e eu cresci com esse ensinamento de amor ao próximo. Deus já havia colocado no meu coração a semente da solidariedade para um trabalho que cresceu e que hoje ajuda tantas crianças necessitadas”, reconhece à missionária.

 

Serviço

Global Children Assistance Foundation

Cidade San Pedro de Macoris, República Dominicana

Endereço na República Dominicana: Calle Estebania Richiez número 12, setor maestros

Endereço EUA: Sycamore Canyon Dr, Kissimmee,FL

Número 6955, zip  34758

Fonte: Nossa Gente

Comentários Facebook