Acusações de fraude de Donald Trump dividem os republicanos

O pronunciamento de Donald Trump sobre fraude na contagem de votos divide os republicanos

 

O presidente de Filadélfia pediu a Donald Trump para “reconhecer que perdeu”. Numa curta declaração, Jim Kenney, autarca da maior cidade do estado da Pensilvânia, disse “tratar-se francamente” de o presidente “vestir as calças de rapaz crescido” e “aceitar que perdeu”. Republicanos opinam sobre alegadas fraudes eleitorais apontadas por Trump

 

Da Redação

Reações variadas surgiram no Partido Republicano nesta sexta-feira, após as acusações infundadas de fraude eleitoral lançadas por Donald Trump: várias figuras estão a seu favor, mas outras condenam a “perigosa” estratégia de desinformação do presidente, cada vez mais perto de perder a Casa Branca para o democrata Joe Biden, que segue com favoritismo.

O presidente de Filadélfia pediu a Donald Trump para “reconhecer que perdeu”. Numa curta declaração, Jim Kenney, autarca da maior cidade do estado da Pensilvânia, disse “tratar-se francamente” de o Presidente “vestir as calças de rapaz crescido” e “aceitar que perdeu”, dando os parabéns ao vencedor, para permitir “que o país siga em frente”.

Por sua vez, senador republicano Mitt Romney criticou nesta sexta-feira Donald Trump, ao considerar que as repetidas declarações do presidente sobre alegadas fraudes eleitorais nas eleições presidenciais minam as instituições e agravam as tensões. “Trump está enganado quando diz que a eleição foi fraudulenta, corrompida e roubada”, enfatiza.

“O Presidente está no seu direito quando pede uma recontagem dos votos e quando apela a um inquérito sobre presumíveis irregularidades onde existam provas, mas está enganado quando diz que a eleição foi fraudulenta, corrompida e roubada”, disse Romney, com relações muito turbulentas com o presidente, numa mensagem na rede social Twitter.

“Afirmar isso lesa a causa da liberdade aqui e por todo o mundo, enfraquece as instituições que estão no âmago da República e inflama de forma imprudente as paixões destruidoras e perigosas”, acrescentou o atual senador, e que em 2012 foi o candidato republicano à Presidência dos EUA.

Pat Toomey, senador republicano da Pensilvânia disse que, “o discurso do presidente na noite passada me chateou porque ele fez alegações muito, muito sérias, sem nenhuma evidência para apoiá-las. Não tenho conhecimento de nenhuma fraude”, desabafou.

No Twiter, o congressista pelo Texas, Will Hurd, denunciou a tática , “perigosa e errada”, e pediu que todas as células sejam contadas.

Mitch McConnell, líder do Senado, pediu calma a todos, em momento conturbado da eleição presidencial, dizendo que “todos os votos legais devem ser contados. Qualquer cédula submetida ilegalmente não deve ser. Todos os partidos devem monitorar este processo. E os tribunais existem para aplicar lei e resolver conflitos”, enfatizou, sem mencionar que houve fraude.

O ex-conselheiro de George W. Bush, Karl Rove, apontou que haja uma fraude envolvendo os milhares de votos em vários estados, afirmando que, “tudo se assemelha a um filme de James Bond”, alfinetou.

 

 

Fonte: Nossa Gente

Comentários Facebook