Diretor da Polícia em Elizabeth (NJ) é acusado de racismo

Grupos disseram que as comunidades de imigrantes e minorias da cidade têm lutado regularmente com as preocupações sobre a conduta da polícia.

O principal agente da lei em Elizabeth, uma das maiores cidades de New Jersey, rotineiramente se refere aos policiais em seu departamento usando insultos racistas e sexistas, de acordo com uma investigação, e agora está rejeitando pedidos para sua demissão.

O oficial, James Cosgrove, que lidera a força policial em Elizabeth desde 1998, se recusou a comentar as conclusões de uma investigação realizada pelo promotor público da Comarca de Union, que começou depois que um advogado de vários policiais entrou com queixas.

O procurador-geral do estado, Gurbir S. Grewal, interviu e exigiu a demissão de Cosgrove. Ele se baseou nas conclusões do promotor, que não foram divulgadas, mas “concluiu que, ao longo de muitos anos, o diretor Cosgrove descreveu sua equipe usando termos depreciativos, incluindo insultos racistas e misóginos”.

Cosgrove, de 73 anos, nomeado para o cargo que só pode ser removido pelo prefeito, J. Christian Bollwage, que também se recusou a discutir as conclusões da investigação que duraram dois meses.

O único comentário público do prefeito foi feito nesta segunda-feira, dia 29 de março, no Twitter, quando ele atacou uma reportagem, que chamou de “assassinato de caráter”.

Ao longo dos anos, Elizabeth transformou-se de uma cidade predominantemente branca da classe trabalhadora em uma comunidade majoritariamente minoritária, onde mais de 80% dois cerca de 130.000 habitantes são hispânicos ou negros.

A controvérsia envolvendo o diretor de polícia é o capítulo mais recente sobre um assunto já mencionado pelos grupos comunitários, que dizem sofrer tensões de longa data promovida pela polícia sobre as pessoas de cor.

“É fundamental que o governo da cidade tome medidas para garantir que o Departamento de Polícia reflita o valor de nossa cidade”, disse Sarah Cullinane, diretora da Make the Road New Jersey, uma organização sediada em Elizabeth que ajuda comunidades imigrantes e minoritárias. Ela pede pela renúncia de Cosgrove.

“Uma das principais responsabilidades de um líder efetivo da lei é manter a confiança da comunidade que ele serve”, disse Grewal em um comunicado. “O diretor Cosgrove violou essa confiança e, ao fazê-lo, minou a confiança em nosso sistema de justiça”.

O silêncio do prefeito, desde o início da polêmica, enfureceu os  ativistas e moradores. “O fato do prefeito não tomar qualquer ação é completamente irresponsável e prejudica os interesses da comunidade em Elizabeth e em toda Nova Jersey”, disse Amol Sinha, diretor executivo da American Civil Liberties Union no estado.

Grupos disseram que as comunidades de imigrantes e minorias da cidade têm lutado regularmente com as preocupações sobre a conduta da polícia, incluindo sobre o uso da força e seu apoio às diretrizes federais de imigração.

Fonte: Redação Braziliantimes

Fonte: Brazilian Times

Comentários Facebook