Brasileiros em Massachusetts relatam medo após tiroteios e prisões em massa do ICE

Patrícia Da Silva, uma imigrante brasileira, disse que está muito assustada depois dos…

Patrícia Da Silva, uma imigrante brasileira, disse que está muito assustada depois dos recentes acontecimentos registrados em algumas regiões nos Estados Unidos. Logo após os tiroteios em massa em El Paso, no Texas, e Dayton, em Ohio, e as detenções feitas pelo Departamento de Imigração (ICE, sigla em inglês), muitos ficaram preocupados.

“Isso me deixa nervosa e realmente estamos procurando uma solução sobre como nos protegemos? Como podemos nos manter seguros?” disse ela através do tradutor Antônio Massa Viana, um advogado de imigração e direitos civis.

Ela emigrou do Brasil há três anos e trabalha como faxineira em Framingham, Massachusetts. Patrícia disse que não enfrentou nenhuma violência em seu país de origem, mas “ficava louca” quando o filho mais velho saia de casa porque temia pela sua segurança.

Ele tem 14 anos e frequenta a Framingham High School e passa o tempo praticando skate e jogando futebol.  “Estamos começando nos conscientizar do nosso meio agora”, disse ela, acrescentando que não pode confiar demais nos outros. “É uma situação triste para os imigrantes que não têm documentos ou carteira de motorista, pois isso realmente nos causa com medo”.

Patrícia e seu filho de 7 anos, Miguel Gonzales, estavam entre quase duas dúzias de pessoas que vivem na região metropolitana de Milford que participaram de uma reunião na quinta-feira, dia 08, na Igreja Católica St. Tarcisius. Durante a reunião, elas foram orientadas sobre como enfrentar esse medo e como os imigrantes podem se proteger não apenas de atiradores em massa, mas dos agentes do Departamento de Imigração e Alfândega (ICE, sigla em inglês).

A reunião foi organizada pelo Brazilian American Center (BRACE) e pela Jewish Family Services (JFS) da Framingham.

“Acho que as pessoas estão com muito medo, por isso é importante divulgar essas informações”, disse Viana, que trabalha com muitos imigrantes da área.

“É importante que nos tornemos proativos e trabalhemos juntos”, disse a vereadora da cidade de Framingham, Margareth Shepard, brasileira que foi eleita em novembro de 2017 para representar o Distrito 7.

“Os imigrantes estão no limite e até mesmo pequenos incidentes podem alimentar o medo. Na semana passada, a polícia de Framingham, à procura de um suspeito, parou os veículos que chegavam ao cruzamento das Rotas 9 e 126,  deixando muitos motoristas em pânico”, disse Shepard.

De acordo com elas, muitos imigrantes que estava dirigindo neste momento acreditavam que se tratava de policiais trabalhando junto com o ICE. “Então eles começaram a orar, enviar mensagens e e-mails para seus entes queridos”, afirmou.

Situações como essa são “perigosas”, de acordo com Margareth e é por isso que o conselho da cidade aprovou, “com razão”, seu próprio decreto chamado “Acolhendo os Imigrantes”, em fevereiro.

Ela explica que assim os imigrantes se sentem mais seguros.

Fonte: Redação Braziliantimes

Fonte: Brazilian Times

Comentários Facebook