Agentes do ICE tentam deter imigrante em NY e atiram no rosto de jovem

Gaspar Avendaño Hernández deixou sua casa no Brooklyn na quinta-feira, dia 06, para ir para o…

Gaspar Avendaño Hernández deixou sua casa no Brooklyn na quinta-feira, dia 06, para ir para o trabalho de construção. Mas ele, um imigrante mexicano sem documentos que já havia sido deportado em 2011, não foi longe.

Ele foi surpreendido, do lado de fora de sua casa, por agentes do Departamento de Imigração e Alfândega (ICE, sigla em inglês).

O que aconteceu a seguir mostra a tensão entre o governo Trump e as autoridades em New York e outras jurisdições liberais sobre suas chamadas políticas de cidades-santuário que protegem imigrantes indocumentados dos esforços de aplicação federal.

Uma briga eclodiu em frente à casa do imigrante, segundo testemunhas e autoridades. Enquanto os oficiais do ICE tentavam detê-lo, Avendaño foi baleado com uma arma de choque. Um policial então disparou uma arma contra um segundo homem, filho da namorada do imigrante, com a bala perfurando a bochecha do jovem.

À medida que a notícia do episódio se espalhava, manifestantes anti-ICE se reuniram no hospital onde os dois homens e dois policiais feridos na briga foram levados. As autoridades da cidade correram para intervir, eventualmente pedindo que diplomatas mexicanos ajudassem os homens a contatar suas famílias, enquanto que membros democratas do Congresso exigiam respostas do ICE sobre o tiroteio.

Em sua resposta, o ICE afirmou que o tiroteio poderia ter sido evitado se NY ajudasse a agência, em vez de proibir suas as autoridades policiais de entregar imigrantes indocumentados.

Trump, há muito tempo, critica cidades como NY, que têm políticas de santuários, acusando-as de proteger criminosos. Os funcionários dessas jurisdições foram a tribunal para bloquear os esforços do governo de revogar o financiamento federal como punição.

Com a campanha presidencial prestes a começar e Trump fazendo da imigração o foco de sua candidatura à reeleição, o governo fez de NY um exemplo e parece estar expandindo sua pressão contra o que considera políticas equivocadas de cidades-santuários.

Na segunda-feira, dia 10, o Departamento de Justiça processou a Califórnia, New Jersey e Washington, por obstruir a atuação dos agentes federais de imigração.
As autoridades de NY argumentam que essas políticas são vitais para manter a confiança dos três milhões de imigrantes da cidade, incluindo mais de um milhão de nova-iorquinos que não têm documentos ou vivem em uma casa com status misto.

No mês passado, em uma entrevista coletiva, Matthew T. Albence, diretor interino do ICE, culpou as políticas de cidade-santuário de NY pelo estupro e assassinato de uma mulher de 92 anos no Queens. Ele afirmou que o imigrante indocumentado acusado neste caso deveria ter sido entregue à agência de imigração meses antes, depois que ele foi acusado de atacar seu pai.

Albence disse que NY colocou em risco a segurança pública ao se recusar a honrar o pedido de custódia da agência neste caso. O ICE usa estes pedidos para solicitar às autoridades locais que mantenham detidos imigrantes sem documentos até que a agência possa buscá-los.

Logo depois da entrevista, O ICE anunciou dezenas de prisões de imigrantes indocumentados em torno de NY, sendo que mais da metade tinham sido libertados pelas autoridades, apesar dos pedidos de custódia da agência.

Fonte: Redação – Brazilian Times.

Fonte: Brazilian Times

Comentários Facebook